Fala do Jornalista Raimundo Marinho


Fala do Jornalista Raimundo Marinho

Por: Redação do Jornal da 88

Jornalista RAIMUNDO MARINHO
Adaptação da fala na Rádio 88 FM, dia 08.11.2023

Aprovado aumento do ICMS O governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues, conseguiu aprovar, ontem (7/10), na Assembleia Legislativa, o projeto de lei que aumentou a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) de 19% para 20,5%. Isso depois do seu antecessor, Rui Costa, já ter aumentado de 18% para 19%, no final de 2022. Vai afetar a vida de todas as pessoas, que pagarão mais caro por quase tudo que comprar, como em padarias, restaurantes, supermercados, lanchonetes etc., pois o aumento será repassado para os preços cobrados do consumidor. Jerônimo diz que é para compensar perda de receita, após o STF (Supremo Tribunal Federal) limitar o imposto nos serviços de energia elétrica e de telecomunicações. 

Alega ainda a redução, por Lei Federal, do imposto sobre os combustíveis. Ou seja, Jerônimo tira dos baianos, de forma perversa, benefícios garantidos, em todo Brasil, pela Justiça e pela Lei. Só para tapar o rombo com gastos em obras, no ano eleitoral de 2022, que, certamente, favoreceram sua eleição. Para isso, o governo estadual estabeleceu o que chamou de parceria com, pelo menos, 240 municípios, com obras, a meu ver, voluptuárias, como a urbanização da Lagoa da Estocada, em Livramento, muito longe de ser uma prioridade, diante de tantas mazelas urbanas existentes em nossa cidade. Os gastos da Conder, executora dos projetos em toda Bahia, subiram de R$655 milhões (2021) para R$4 bilhões (2022).

Presidente volta ao Brasil O presidente da República, Luís Inácio da Silva, depois do milionário roteiro pelo mundo, volta ao Brasil e anuncia que vai percorrer todo o país, ano que vem! Boa notícia, mas é alvo de críticas, por 2024 ser ano eleitoral. De qualquer forma, será um grande teste para a popularidade do presidente. E as viagens internacionais teriam custado R$45 milhões, sem cumprir uma das suas finalidades, que seria atrair investimentos para nosso país, os quais, segundo o Banco Central, caíram uns 40% neste governo (US$ 41,63 bilhões, contra US$ 68,83 bilhões em igual período de 2022).  

Para refletir Para onde a alma “voa”?

(Baseado em Hora do Ângelus, PENSARES PARA REZAR, pp. 21/22).

O que acontece com as pessoas depois que morrem? Para uns, simplesmente são levadas ao cemitério, onde são enterradas ou cremadas, não se falando mais nelas. A maioria, porém, acredita que elas vão para uma nova vida ou ficam numa espécie de quarentena, até o Juízo Final. A primeira resposta não oferece dificuldades, mas a segunda é inquietante e não há provas definitivas a respeito. Fica por conta das convicções religiosas e do ideário do ser humano de se eternizar. Assim, somos divididos no corpo que morre e é enterrado; e na alma que “voa” para outra vida. A essência seria a alma (espírito), não o corpo. A ideia de vida após a morte está na Filosofia e nas religiões. Nosso verdadeiro destino, após a morte, ainda não foi dado a conhecer, de forma a convencer a todos. Mas se tornou consenso que o corpo é temporário, volta à terra. 

É visto sendo enterrado, diferente, portanto, da alma (espírito), que ninguém vê “voando”. Difícil explicar que algo de nós, além do corpo, ao morrermos, partirá para um plano de plena satisfação ou para regiões de sofrimento, a depender das ações que tivermos praticado. Aliás, como explicar a própria vida, se nela o mais certo é a morte, em paradoxo irrefutável? Mas a vida por si só se explica. Para entender tudo, terá de se concentrar no nascer, no viver e no morrer. São realidades grandiosas inegáveis, eloquentes! No plano humano, não há nem nunca haverá uma clareza coletiva a esse respeito. O comando de Deus programou, através da natureza, esclarecimentos individualizados, na proporção em que cada um for se interessando em obtê-los. Quem se dedicar a buscar essa sabedoria profunda, com certeza, vai encontrar! Pensem nisso!