Pesquisa da Uesb aponta musicoterapia como eficaz para pacientes com Parkinson


Pesquisa da Uesb aponta musicoterapia como eficaz para pacientes com Parkinson

Por: Agora Sudoeste

Tremores, lentidão de movimentos, rigidez muscular, desequilíbrio e alterações na fala e na escrita são os principais sintomas da Doença de Parkinson, a segunda doença neurodegenerativa mais recorrente no mundo. Mas você já imaginou que a música pode servir como terapia para pacientes que possuem essa patologia? Uma pesquisa desenvolvida no curso de Medicina da Uesb, campus de Vitória da Conquista, apontou a musicoterapia como potencial estratégia terapêutica no cuidado da Doença de Parkinson. Segundo Luzia Chaves, pesquisadora a frente do estudo, a técnica se mostrou eficiente como terapia complementar, “com resultados positivos no manejo dos sinais e sintomas motores e não motores, além da melhora na qualidade de vida dos pacientes, sendo eficaz o uso de diversos métodos, em contextos de simples e dupla tarefa”, aponta. Resultados promissores – Com diagnóstico feito com base na história clínica do paciente, a Doença de Parkinson consiste na degeneração das células presentes em uma região do cérebro chamada substância negra. Essas células produzem dopamina, hormônio responsável por conduzir as correntes nervosas do nosso corpo. Quando há uma diminuição ou falta da dopamina, os movimentos, por exemplo, são afetados.