Bahia terá protocolo de direitos humanos e feminicídio


Bahia terá protocolo de direitos humanos e feminicídio

Por: Redação Jornal da 88

O Protocolo de Direitos Humanos e Feminicídio (que é quando a mulher é morta por ser mulher) documento com as diretrizes que devem ser aplicadas nesse tipo de crime, está sendo construído na Bahia. Para tratar do assunto, os secretário de secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins, e de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira, se reuniram na tarde da última sexta-feira (6), em Salvador. Os titulares das pastas se debruçaram em questões referentes ao acolhimento e abrigamento de mulheres que correm risco iminente de morte, tráfico de pessoas e acolhimento de vítimas de violência doméstica.  "O protocolo vai orientar o trabalho dos profissionais de justiça em casos específicos de violência e assassinatos de mulheres, o feminicídio. É um passo importante na luta de combate a esse crime. Na SJDHDS, estaremos focados em questões que envolvem a Casa Abrigo Mulher, o Projeto Viver e o combate ao tráfico de mulheres, que corresponde a 70% dos casos de tráfico de pessoas", explicou Carlos Martins. Segundo Julieta Palmeira, a criação do documento envolve diversas secretarias do Estado e órgãos como o Tribunal de Justiça, Defensoria Pública e Ministério Público. "O protocolo é muito importante. Ele unifica o que cada um vai fazer na prevenção e punição do feminicídio", disse. A secretário acrescentou que o documento ainda orientará profissionais de polícia e justiça a direcionar melhor o olhar durante as investigações. As informações da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado.