Secretaria de Desenvolvimento Social de Livramento promoveu palestra de capacitação de conselheiros tutelares


Secretaria de Desenvolvimento Social de Livramento promoveu palestra de capacitação de conselheiros tutelares

Por: Redação Jornal da 88

A Secretaria de Desenvolvimento Social de Livramento promoveu na manhã desta última quarta-feira (31), no plenário Dona Didi Azevedo, na Câmara de Vereadores, junto ao Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos (Cejusc), uma palestra com o juiz titular da vara civil de Livramento Antônio Carlos do Espírito Santo, em que foi pontuado a função do conselheiro tutelar e sua importância no auxílio para resolução de casos jurídicos.

A palestra contou com a participação de conselheiros tutelares das cidades de Livramento, Rio de Contas e também Paramirim. A secretária de desenvolvimento social de Livramento, Aline Xavier, afirmou que essas qualificações serão frequentes. “É muito importante para os conselheiros que eles recebam treinamento contínuo. E esse é o nosso esforço. Faremos o possível para promover mais cursos. Aproveito a oportunidade para agradecer a todos os envolvidos e inclusive a Rádio 88 FM que é a nossa parceira”, agradeceu a secretária.

Quem também se mostrou muito feliz com o evento foi o palestrante, o juiz de direito Antônio Carlos. Para o magistrado, a palestra foi esclarecedora por conta das temáticas abordadas. “Tivemos oportunidade de tocar em temas delicados, como o estupro de vulnerável, por exemplo. Falamos também sobre o papel dos pais do ponto de vista jurídico, além alertarmos aos conselheiros sobre a lei da palmada e da importância do diálogo dos pais no processo educacional”, relatou o juiz.

Entre os participantes, a sensação também era de satisfação. O conselheiro tutelar de Livramento, Vilson Santos, disse que a troca de experiências é fundamental para o esclarecimento de dúvida a respeito de sua função. “Foi muito importante ouvirmos dos colegas os casos relatados, pois eles acabam se repetindo e, por isso, a troca de experiências nos ajudar a resolvê-los de forma eficiente e rápida”, afirmou.

Seu colega de conselho, o rio-contense Rodrigo Jr. Amorim, seguiu a mesma linha de pensamento de Vilson: “esclareci muitas dúvidas que eu tinha, inclusive a respeito de leis e condutas que devemos ter junto a justiça”.